Mercado Imobiliario e NoticiasNão foi somente a cara do Rio que mudou ao longo de 2010, com o lançamento de 13.732 novas unidades até 26 de novembro, segundo a Associação Brasileira dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi).

De acordo com dados da Rede Rio, portal de oferta de imóveis do Sindicato da Habitação (Secovi Rio), o carioca também mudou o foco de locais para compra e locação. De janeiro a novembro deste ano, a maior demanda por moradias foi registrada na Zona Norte, especialmente em bairros como Tijuca, Vila Isabel e Méier, desbancando a Zona Sul da cidade.

Do total de imóveis pesquisados pelos consumidores, 41% estavam localizados na região. A Zona Sul respondeu por 37% da demanda, seguida da Zona Oeste, com 15%, e da região central, com 7% de interesse.

O aumento da procura ajudou a elevar o preço dos imóveis. Segundo um estudo do Centro de Pesquisa e Análise da Informação do sindicato, de janeiro a novembro deste ano, o valor do metro quadrado dos imóveis de um quarto em Vila Isabel subiu 58%, índice que supera os registrados no Leblon $(53%) e em Ipanema (47%).

Neste perfil de imóveis, a Vila só perdeu para o Centro, que teve uma valorização de 72% no mesmo período. Em janeiro, o metro quadrado na região custava R$ 2.109, contra R$ 3.757 em novembro.

Bons motivos.

Para o vice-presidente do $Rio, Leonardo Schneider, um dos motivos para a maior demanda na Zona Norte é a instalação das UPPs em comunidades da Tijuca e Vila Isabel, o que impulsionou o mercado:

— Não podemos esquecer que naquela região os terrenos ainda são mais baratos e que existem muitas opções $tamanho de imóveis, diferente do que ocorre na Zona Sul. A obtenção de crédito para financiamento também está mais fácil, com juros menores e prazos mais largos. Fora que o sonho da casa própria ainda é algo muito importante para a maioria dos brasileiros.

Na busca por imóveis para locação, a Tijuca se destacou. Em janeiro, o metro quadrado de um apartamento de um quarto no bairro custava R$ 12,04. Em novembro, o valor chegou a R$ 19,73, com uma elevação de 64%. Desta maneira, a região passou concorrentes de peso como Botafogo, cujo metro quadrado aumento 47%, e Copacabana, com valorização de 45%.

— Novos condomínios, com serviços e infraestrutura de lazer semelhantes aos dos bairros mais nobres da cidade, estão chegando na Zona Norte, atraindo moradores de outras regiões — ressaltou Schneider.

Por:Maria Clara Serra
http://extra.globo.com/economia/casapropria/